Top 9 Jogos do Mario

Chegou a hora de ranquear os jogos do sempre relevante Sr. Pulo!

Convenhamos que o bigodudo dispensa apresentações, né? Vamos examinar alguns dos seus melhores jogos, ênfase em ‘alguns’. Se fosse pra falar de todos os títulos bons da série, a gente ficaria aqui até a próxima geração.

Os jogos do Mario são apropriados para todas as idades e habilidades, e isso não é jargão de marketing. Com gameplay fácil e viciante e incontáveis inovações, Mario já deve estar cansado de impressionar a indústria a cada apresentação.

Jogos do Mario

Nossa lista vai focar nos jogos de plataforma, com uma exceção que também tem seus elementos de pulo.

Let’s-a go!

9. Super Mario Maker

Super Mario Maker

A lista começa com uma fábrica inteira de jogos! Um editor customizado do tipo sempre foi um sonho de criança meu. Super Mario Maker possibilita criar fases nas eras Super Mario Bros., Mario 3, World e os recentes New Super Mario Bros. e 3D World – o último na sequência para o Switch –, cada um com sua mecânica e itens.

A interface é intuitiva; é só arrastar os elementos que deseja incluir na fase, e pronto. O resto fica por conta da sua imaginação!

Já criou fases e quer compartilhar? Manda aí nos comentários.

8. Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars

Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars

A estreia de Mario nos RPGs não poderia ter sido melhor. Super Mario RPG é uma experiência agradável mesmo para quem não é tão acostumado ao gênero, como eu.

O sistema de batalha em turnos é simples, e não há encontros aleatórios – os inimigos estão sempre visíveis na tela.

Além do encanador e outros conhecidos como Bowser, Toad e Peach, o jogo introduz novos personagens que viriam a ser igualmente celebrados. O roteiro, aliás, é espetacular, com humor leve, trama bem amarrada e cheia de surpresas.

O design ainda é inteligente ao incorporar elementos de plataforma; afinal de contas, Mario não é Mario sem seus famosos pulos!

7. Super Mario 3D World

Super Mario 3D World

Os jogos 3D da série passaram por um período meio saudosista no 3DS e no Wii U, retendo o movimento tridimensional, mas com fases lineares e limite de tempo. Super Mario 3D World foi o ápice dessa pizza meio muçarela, meio calabresa.

As fases em 3D World ficaram absurdamente criativas, do tobogã de dinossauro à inspiradíssima homenagem aos space shooters.

Escalar paredes com a nova roupa de gato é outra novidade brilhante, e ainda podemos escolher entre quatro personagens com habilidades personalizadas à la Super Mario Bros. 2.

6. Yoshi’s Island

Yoshi’s Island

Yoshi é a estrela da sua própria série, tecnicamente, mas Yoshi’s Island foi a primeira aventura da vida de Mario! Não dá pra ignorar. O recém-nascido Mariozinho, ainda sem bigode, foi deixado pela cegonha no ponto errado do trajeto, cabendo a Yoshi e sua família levá-lo para casa.

A mecânica é um pouco diferente dos pulos convencionais. Yoshi pode botar e atirar ovos e até se transformar em veículos com seu rosto estampado, tudo enquanto protege Mini Mario dos perigos em volta.

E olha… Mario sabia gritar e chorar quando era bebê, mano do céu. Se a intenção da Nintendo era nos forçar a aprimorar nossas habilidades pra evitar esse som agudo, a missão foi bem sucedida.

A direção de arte merece destaque, com tons e traços que remetem à infância. Os cenários, por exemplo, são todos pintados com giz de cera, e as caixas de diálogo são lousas.

5. Super Mario Galaxy

Super Mario Galaxy

Lançado em 2007 em meio a críticas à qualidade técnica do Nintendo Wii, Super Mario Galaxy cativou fãs e crítica com fases variadas, apresentação impecável e jogabilidade flexível.

Ao contrário de seu antecessor, Super Mario Sunshine, Galaxy adota a temática da vez – o espaço – com certa margem ‘mágica’ para poder usar qualquer tipo de ambiente. Jardins suspensos, planetas congelados e escaldantes, até mesmo uma praia paradisíaca descansando numa tigela flutuante.

Das cinematográficas rotas Launch Star à trilha sonora, que se tornou um clássico instantâneo, o audiovisual em Super Mario Galaxy é simplesmente de tirar o fôlego, competindo fácil com os sistemas mais avançados da geração.

E apesar de toda aquela obrigação do controle por movimento na época, o Wiimote é utilizado de maneira relativamente sutil, com ‘estalos’ de pulso na maior parte do tempo e apenas algumas fases reservadas para movimentos mais intensos.

Super Mario Galaxy é uma viagem não só pelo espaço sideral, mas além das mais encantadoras fronteiras da imaginação.

4. Super Mario Galaxy 2

Super Mario Galaxy 2

Galaxy 2 foi planejado inicialmente como uma expansão para o primeiro jogo, mas as ideias foram tantas que a Nintendo resolveu lançar uma sequência completa.

As poucas falhas do Galaxy original foram consertadas. Há maior variação nos objetivos, o ritmo das fases é mais ágil e o conteúdo dobrou. Se Galaxy 1 já era uma obra-prima, sei lá eu como descrever o segundo. Cobrem isso da Nintendo.

3. Super Mario Bros. 3

Super Mario Bros. 3

Não há nada em Super Mario Bros. 3 que não tenha se tornado uma marca da série. Os mapas interativos, o Kuribo Shoe, a roupa de sapo; todas as peças do design caíram como uma luva, e o resultado foi, para a surpresa de ninguém, o maior jogo de sua época.

Cobrimos Mario 3 e suas principais características mais detalhadamente numa divertida batalha contra Super Mario World, na seção Versus. Passa lá depois!

2. Super Mario World

Super Mario World

Super Mario World conseguiu, de alguma forma, melhorar o que já era excepcional no antecessor. O mapa, agora mais aberto e disponível o tempo todo, possibilita explorar o mundo como quisermos. O controle é tão macio e reativo que a gente só encosta no joypad e puf, já foi metade do jogo.

Por fim, World introduziu o famoso sistema de saídas, que deve ter sido parcialmente responsável pela obsessão em completar jogos 100% que temos hoje em dia.

Isso tudo além do mais-que-bem-vindo save. Precisa mais?

1. Super Mario 64

Super Mario 64

Mario sempre teve um belo repertório de habilidades, mas foi Super Mario 64 que transformou o Bigode no rei da acrobacia. Pulos longos, triplos, mergulhos; até hoje, mesmo dentro da própria franquia, é difícil encontrar um título com a liberdade de movimento que Mario desfrutou em sua inauguração poligonal.

Temos total liberdade, também, para escolher nossa rota. As Power Stars podem ser obtidas em qualquer ordem, ou até mesmo ignoradas. Essa estrutura abre inúmeras opções de estratégia – speedruns focam em estrelas mais rápidas, por exemplo – e funciona ao mesmo tempo como um medidor de dificuldade, já que é possível deixar objetivos mais complicados para trás e tentar pegar estrelas mais de boa.

Super Mario 64 foi tão revolucionário que suas conquistas técnicas e fórmula ainda são modelos para a indústria.

E na minha visão, continua sendo o melhor Mario de todos os tempos.

Triste deixar Odyssey, Land 2 e os Karts fora da lista, mas é o preço que se paga por ter que escolher entre tantos clássicos.

Quem sabe numa revisão, ou mesmo uma sequência do artigo? Curtem a ideia?

Se você estiver mais alinhado ao time da Sega (ou se quiser estudar a concorrência), fizemos um Top jogos do Sonic também!

Até mais!

Zerados Recentemente

Mande sua Opinião!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui